EUA confirmam acordo de ajuda militar ao Oriente Médio

Israel deve receber a maior quantia (US$ 30 bilhões) da tentativa americana para estabilizar a região

REUTERS

30 Julho 2007 | 12h12

Os EUA anunciaram nesta segunda-feira, 30, um pacote de ajuda militar para o Egito de US$ 13 bilhões e um outro pacote semelhante para Israel, no valor de US$ 30 bilhões. Além disso, planos para prover esse tipo de ajuda à Arábia Saudita são estudados e a administração Bush afirmou que pediria ainda nesta segunda ao Congresso que aprovasse vendas de pacotes de armamento militar para o país e seus vizinhos que podem chegar a US$ 20 bilhões.   A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, fez o anúncio horas antes de partir, junto com o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, para uma rara visita conjunta ao Egito e à Arábia Saudita, onde os dois devem buscar uma maior participação árabe nos esforços para estabilizar o Iraque.   O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, descreveu a ajuda como um elemento importante para a segurança de Israel e um sinal do comprometimento americano em manter a "vantagem do Exército israelense sobre países árabes".   "Nós entendemos a necessidade dos Estados Unidos de ajudar os países árabes moderados que estão na mesma frente com os americanos e conosco na luta contra o Irã, e por outro lado nós apreciamos o apoio renovado e reforçado para o Exército israelense e nossa vantagem de segurança", aifrmou o primeiro-ministro no último sábado. O governo norte-americano, preocupado com a força crescente do Irã e com a guerra no Iraque, esforça-se para convencer os países do golfo Pérsico de que os EUA estão comprometidos com a região e de que darão apoio àqueles países, inclusive por meio da venda de armas, afirmaram autoridades norte-americanas. "Esse esforço ajudará a consolidar as forças da moderação e o apoio a uma estratégia mais ampla de combate às influências negativas da Al-Qaeda, do Hezbollah, da Síria e do Irã", afirmou Rice em um comunicado no qual anunciava os acordos para a área de defesa. Os pacotes para o Egito e para Israel devem durar dez anos. Segundo Rice, o atual governo dos EUA iniciou discussões com o Egito em torno de um acordo de ajuda militar no valor de US$ 13 bilhões, uma ajuda capaz de melhorar a capacidade egípcia de "atingir a parte deles nas metas estratégicas." "Modernizar ainda mais as Forças Armadas do Egito e da Arábia Saudita e aumentar o grau de cooperação são medidas que fortalecerão nossos parceiros na luta contra a ameaça do radicalismo e que consolidarão o papel deles como líderes regionais na luta por um Oriente Médio em paz", disse Rice. O pacote saudita, que, como os outros acordos, precisa ser antes sancionado pelo Congresso dos EUA, deve melhorar as defesas antimíssil e a Força Aérea do país e ampliar sua Marinha, disse uma autoridade à Reuters. Segundo membros do governo norte-americano, o montante da ajuda a ser envida à Arábia Saudita ainda era objeto de discussão. Rice disse que Nicholas Burns, subsecretário de Estado dos EUA, pretende viajar para os países da região, entre os quais Israel, na metade de agosto a fim de concluir os acordos. Ampliado às 18h46.

Mais conteúdo sobre:
EUA Arábia Saudita Iraque Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.