EUA confirmam, mas minimizam, visita de diretor da CIA a Kiev

A Casa Branca alertou nesta segunda-feira que a Rússia vai enfrentar mais "custos" com suas intervenções na Ucrânia e confirmou que o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos EUA, John Brennan, esteve em Kiev no fim de semana.

Reuters

14 de abril de 2014 | 18h50

"Nós normalmente não comentamos sobre viagens do diretor da CIA, mas dadas as circunstâncias extraordinárias neste caso e as falsas alegações que estão sendo levantadas pelos russos sobre a CIA, podemos confirmar que o diretor esteve em Kiev como parte de uma viagem à Europa", disse aos repórteres o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

De acordo com informações da mídia, a Rússia exortou Washington a explicar o que Brennan estava fazendo na Ucrânia.

"Visitas de funcionários de alto nível do setor de inteligência são um padrão de promoção de cooperação em segurança mutuamente benéfica, incluindo a colaboração russo-americana na área de inteligência, que remonta aos primórdios da era pós-Guerra Fria", disse Carney.

"As autoridades de inteligência dos EUA e da Rússia se reuniram ao longo dos anos. Querer concluir que a reunião de autoridades americanas com os seus homólogos é outra coisa, que não siga esse mesmo espírito, é um absurdo", disse ele.

Carney também afirmou que o governo dos EUA elogiou o governo da Ucrânia pela sua moderação ao lidar com ações provocativas da Rússia.

(Reportagem de Jeff Mason e Jim Loney)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVISITACIAKIEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.