EUA consideram postura chinesa mais agressiva em caso de navios

A China adotou uma postura militar mais agressiva e o impasse sobre acusações de ter perseguido navios dos EUA é o mais grave desde a detenção de um avião espião norte-americano e sua tripulação em 2001, disse a principal autoridade do setor de inteligência do país nesta terça-feira. O diretor de Inteligência Nacional dos EUA, Dennis Blair, afirmou ao Congresso que os policiais chineses "parecem ter (uma postura) mais militar, agressiva". "Isso é uma tendência que estamos observando", afirmou. O Pentágono informou na segunda-feira que cinco navios chineses, incluindo uma embarcação militar, haviam perseguido um navio da Marinha norte-americana no Mar do Sul da China no domingo e chegaram a ficar a apenas 7,6 metros do navio de vigilância oceânica. Segundo comunicado do Departamento de Defesa, as embarcações chinesas "seguiram de perto e manobraram agressivamente em proximidade perigosa" ao USS Impeccable, que estava conduzindo operações de rotina em águas internacionais, 120 quilômetros ao sul da Ilha de Hainan. (Reportagem de Randall Mikkelsen)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.