EUA: Coreia do Norte 'pagará' se continuar ensaios atômicos

Embaixadora americana na ONU prevê punição para o regime norte-coreano por testes nucleares

Agência Estado e Dow Jones,

26 de maio de 2009 | 10h08

A Coreia do Norte irá "pagar um preço" se continuar com seus testes nucleares e de mísseis, violando resoluções internacionais. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 26, por Susan Rice, embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas (ONU).

 

Veja também:

ONU pede que regime retome negociações

China diz não ter influência sobre norte-coreanos

Coreia do Norte dispara dois mísseis de curto alcance

video TV Estadão: Roberto Godoy analisa o novo teste nuclear do país

especial Especial: As armas e ambições das potências nucleares

especialLinha do tempo da ameaça nuclear norte-coreana

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

 

"Se você quer continuar a testar e provocar a comunidade internacional, eles descobrirão que pagarão um preço pois a comunidade internacional é clara: não é aceitável", afirmou Susan na CNN. A embaixadora comentava o teste nuclear realizado por Pyongyang na segunda-feira e os dois testes com mísseis, realizados pelo país nesta terça-feira.

 

As palavras duras de Washington vêm a público um dia após o Conselho de Segurança da ONU condenar unanimemente o teste nuclear norte-coreano. Potências globais pedem novas punições ao país e o presidente dos EUA, Barack Obama, pediu apoio aos vizinhos da Coreia do Norte.

 

Susan previu que as sanções poderiam "tomar formas muito diferentes", incluindo as econômicas. Após a reunião de emergência na segunda-feira, na sede da ONU, os membros do Conselho de Segurança concordaram em começar "imediatamente" a trabalhar em uma nova resolução sobre o tema, segundo o presidente do Conselho, o russo Vitaly Churkin.

 

O Conselho de Segurança lembrou na segunda-feira que o teste nuclear viola a resolução 1718 da ONU, adotada em outubro de 2006, após o primeiro teste atômico de Pyongyang. A resolução proíbe o regime comunista de conduzir qualquer teste nuclear ou de mísseis.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Norteprograma nuclearEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.