EUA cortam orçamento para segurança na fronteira

US$ 3 bi serviriam para financiar agentes da Patrulha, veículos, postos de controle e torres de observação

Efe,

08 de novembro de 2007 | 03h18

O Congresso dos Estados Unidos reduziu em US$ 3 bilhões os fundos do Departamento de Defesa destinados à segurança na fronteira com o México para o ano fiscal de 2008, que começou dia 1 de outubro. A diminuição na verba prevista pelo Departamento de Defesa faz parte das negociações na Câmara de Representantes e no Senado para aprovar, com um mês de atraso, o Orçamento Geral do Estado de 2008. Os US$ 3 bilhões serviriam para financiar agentes da Patrulha Fronteiriça, veículos, postos de controle, cercas e torres de observação. A verba estava incluída na reforma migratória promovida pelo presidente dos EUA, George W. Bush, no princípio deste ano, e que fracassou no Senado, em junho. A decisão do Congresso de cortar parcialmente o orçamento do Departamento de Defesa irritou o Partido Republicano, que acusou os democratas de criarem problemas para os planos do governo de reforçar a segurança na fronteira. O republicano Whip Roy Blunt disse que "a segurança nas fronteiras preocupa os americanos, mas esta inquietação sincera e legítima foi enterrada pelos democratas". A despesa ainda pode ser incorporada ao orçamento de outro departamento, provavelmente o da Segurança Nacional. Há grandes divergências entre Bush e o Congresso sobre o orçamento de US$ 2,9 trilhões pedido pela Casa Branca para este ano. O governo pretende conseguir um superávit até 2012. Bush se viu obrigado a assinar, em 29 de setembro, uma lei de "emergência" que estende temporariamente os orçamentos de 2007 até 16 de novembro, para evitar que o governo tenha que fechar por falta de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAimigrantes ilegaisrecursos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.