EUA criticam Síria por ataques militares 'cínicos'

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, acusou nesta segunda-feira o presidente sírio, Bashar al-Assad, de cinicamente lançar novos ataques militares enquanto se reunia com o enviado especial conjunto da ONU-Liga Árabe, Kofi Annan, no fim de semana.

REUTERS

12 de março de 2012 | 12h49

"Rejeitamos qualquer equivalência entre assassinatos premeditados por máquina militar de um governo e ações de civis sob cerco impulsionados pela autodefesa", disse Hillary ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.

"Como isso é cínico, mesmo Assad recebendo o ex-secretário-geral (da ONU) Kofi Annan, o Exército sírio conduzia um novo ataque contra Idlib e continuava sua agressão em Hama, Homs e Rastan", afirmou.

(Reportagem de Louis Charbonneau e Michelle Nichols)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASIRIACRITICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.