EUA descartam diálogo com Raúl Castro

O governo norte-americano descartouqualquer contato com o presidente interino de Cuba, RaúlCastro, que manifestou a intenção de voltar a dialogar com asuperpotência, disse um alto funcionário do governo nestasegunda-feira. Durante evento sobre a conjuntura cubana, o secretário deComércio dos EUA, Carlos Gutiérrez, principal político deorigem cubana no governo norte-americano, disse que Raúlsignifica a continuidade do regime repressor de Fidel, quepassou o poder a seu irmão há mais de um ano por problemas desaúde. "A menos que o regime mude, nós não mudaremos", disseGutiérrez no evento da conservadora The Heritage Foundation, emWashington. "A sucessão de Fidel para Raúl é a preservação deuma ditadura", declarou Gutiérrez, levado pela família de Cubapara os EUA aos 6 anos de idade, logo depois da Revolução nailha. Apesar disso, o secretário afirmou que os EUA estãodispostos a dialogar com funcionários interessados em mudançasem Cuba. "Estamos preparados para responder à mudança democráticagenuína em Cuba, estamos preparados para trabalhar com cubanosna ilha e cubanos que ocupem postos na ilha que queiram mudar,obviamente partindo de que não tenham violado direitoshumanos", disse Gutiérrez. Ele reiterou que o destino de Cuba está "nas mãos" doscubanos, e que Washington não tem intenções de invadir a ilha. "Não temos o desejo de governar Cuba, de tomar [o poder] emCuba, não temos nenhuma intenção militar em Cuba. Essas sãocoisas que se dizem em Cuba para confundir as pessoas." As discussões sobre o futuro de Cuba aumentaram emWashington desde que Fidel, de 81 anos, se afastou do poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.