EUA devem retirar 4 mil soldados do Iraque em outubro

Em dois anos, Obama quer tirar todas as tropas americanas do país e entregar controle às forças iraquianas

Efe,

30 de setembro de 2009 | 10h48

O governo dos EUA retirará mais 4 mil soldados do Iraque em outubro, indicou nesta quarta-feira, 30, o chefe militar americano no país árabe, o general Ray Odierno. A decisão ocorre em um momento no qual o presidente Barack Obama avalia um aumento de suas tropas no Afeganistão.

 

Odierno

apresentará seu testemunho em uma audiência do Comitê de Forças Armadas da Câmara de Representantes (Câmara Baixa) sobre a evolução do conflito no Iraque, país invadido pelos EUA em março de 2003. Após terminar a retirada de um contingente que equivale a uma brigada, ficarão no Iraque cerca de 120 mil soldados, segundo o general americano.

 

Obama ordenou, em março, o envio de um reforço de 21 mil soldados ao Afeganistão, onde há agora cerca de 68 mil soldados americanos e outros 20 mil da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

 

Em seu testemunho preparado para a audiência legislativa, Odierno sustentará que a redução do contingente americano no Iraque "reduz os riscos (para suas tropas) e respalda a estabilidade mediante uma transição deliberada de responsabilidades às forças de segurança iraquianas".

 

Em sua campanha eleitoral em 2008, o então senador Obama prometeu um cronograma para a retirada das forças americanas do Iraque. Desde sua chegada à Casa Branca, Obama concretizou um programa que prevê o fim das missões de combate das tropas americanas no Iraque por volta de setembro de 2010 e a saída de quase todos esses soldados do país árabe até o fim de 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraquetropasObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.