EUA divulgam nomes para Tesouro; altos cargos continuam vagos

A Casa Branca divulgou neste domingo três nomes para ocupar altos postos na Secretaria do Tesouro dos Estados Unidos, mas continua a lutar para preencher posições importantes enquanto tenta lidar com a crise financeira. Os três indicados foram anunciados poucos dias depois de dois concorrentes a outros cargos importantes retirarem suas candidaturas, ampliando as preocupações de que a incapacidade do Tesouro de montar rapidamente uma equipe possa atrapalhar sua eficiência em um momento crítico. Os nomeados são: -- O advogado David S. Cohen, para o cargo de secretário-assistente para Financiamento do Terrorismo. Cohen, que já trabalhou no órgão, era até pouco tempo sócio da firma de advocacia WilmerHale; -- O economista Alan Krueger, para o posto de secretário-assistente para Políticas Econômicas. Krueger foi professor na Universidade de Princeton e é um autor prolífico sobre uma vasta gama de temas econômicos; -- O especialista em finanças Kim Wallace, indicado para secretário-assistente para Assuntos Legislativos. Wallace foi diretor administrativo do grupo de pesquisa do Barclays Capital em Washington e antes disso passou 14 anos no extinto Lehman Brothers Group. Os cargos exigem a confirmação do Senado americano. Todos os três indicados atuam como conselheiros do secretário do Tesouro, Timothy Geithner. No entanto, ainda faltam as nomeações do secretário-adjunto do Tesouro e dos subsecretários para Política Externa e Finanças Domésticas. Os subsecretários estão um cargo acima dos secretários-assistentes. Na quinta-feira foi revelado que Annette Nazareth, ex-chefe do órgão que regula o mercado financeiro dos EUA (SEC, na sigla em inglês), retirou seu nome para a vaga de secretária-adjunta do Tesouro por razões pessoais e que vai continuar sua atividade de consultora privada. Além disso, a escolha de Geithner para subsecretária de assuntos externos, Caroline Atkinson, também retirou seu nome da candidatura. Atkinson, funcionária sênior do Fundo Monetário Internacional (FMI), decidiu continuar na instituição, disse uma fonte. Tanto Nazareth quanto Atkinson foram consideradas para as funções mas ainda não haviam sido formalmente indicadas. Lee Sachs, outro ex-conselheiro de Geithner, é considerado por muitos um forte candidato à vaga de subsecretário de Finanças Domésticas, mas tampouco foi oficialmente indicado. Sachs era até pouco tempo atrás sócio e administrador de fundos do Mariner Investment Group Inc. e está envolvido no desenvolvimento do plano de resgate aos bancos do Tesouro americano. (Reportagem de Glenn Somerville; Edição de Philip Barbara)

REUTERS

08 de março de 2009 | 12h38

Tudo o que sabemos sobre:
EUATESOURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.