Ivan Vucci / AP
Ivan Vucci / AP

EUA dizem que há ao menos mais um refém no Oriente Médio

a família de Austin Tice, jornalista que desapareceu em Damasco em agosto de 2012, concedeu uma entrevista coletiva em Washington na semana passada sobre o seu caso

O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2015 | 17h48

WASHINGTON - Pelo menos outro cidadão americano está sendo mantido refém no Oriente Médio, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, a jornalistas nesta terça-feira, 10, após a confirmação da morte da agente humanitária americana Kayla Mueller.

"Temos evitado discutir casos individuais de americanos mantidos reféns, mas estamos cientes de outro refém americano detido na região", disse Earnest, em resposta a uma pergunta sobre se os militantes do Estado Islâmico (EI) mantinham mais pessoas em cativeiro.Earnest não quis fazer mais comentários sobre o assunto.

"Não vou entrar em discussões específicas sobre os casos de indivíduos que estão sendo mantidos reféns, principalmente porque não acreditamos que é do interesse deles discutir sua situação publicamente", disse Earnest.  "Mas tem havido relatos públicos de pelo menos outro refém americano mantido na Síria", acrescentou.

A família de Austin Tice, jornalista que desapareceu em Damasco em agosto de 2012, concedeu uma entrevista coletiva em Washington na semana passada sobre o seu caso. Não está claro, porém, quem estaria mantendo Tice em cativeiro ou se ele ainda está vivo. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
EUAKayla MuellerEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.