EUA dizem que maior risco de atentado é doméstico

Os Estados Unidos enfrentam umaameaça terrorista elevada "num futuro previsível", mas umeventual atentado deve ser de origem interna, disse naquarta-feira o secretário de Segurança Interna, MichaelChertoff. Em meados deste ano, Chertoff afirmou ter a "intuição" deque os EUA enfrentam um alto risco de atentado --o que, segundoele, continua valendo. "Não é algo que vá evaporar em uma ou duas semanas. Achoque é algo que estará conosco por um tempo", declarou ele emteleconferência com um pequeno grupo de jornalistas. O secretário, encarregado de tentar evitar um novo ataquecomo o de 11 de setembro de 2001, disse que o risco mencionadopor ele não se baseia em nenhuma informação específica sobreatentados iminentes. "Eu disse que estávamos começando a entrar num períododesses. E isso não significava que seria uma semana,significava que era pelo futuro previsível", afirmou. "Há provavelmente um risco maior em termos de probabilidadede um ataque tramado domesticamente do que de um enorme ataqueinternacional", acrescentou. Segundo Chertoff, tal ataque "doméstico" poderia sercometido por um indivíduo ou pequeno grupo que, vivendo nosEUA, seja recrutado pela Internet e jure obediência à Al Qaeda. "Acho que a consequência desse tipo de ataque provavelmenteseria menos cataclísmica do que o tipo de ataque que fosselançado do exterior, como o complô de 2006 em Londres contra asempresas aéreas", disse ele, referindo-se a um frustrado planopara atacar aviões dos EUA com explosivos líquidos. (Por Deborah Charles)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.