EUA dizem que reconhecimento de Estado palestino é prematuro

O reconhecimento por Brasil e Argentina de um Estado palestino é prematuro, disse o sub-secretário de Estado norte-americano, William Burns, durante visita ao Chile nesta sexta-feira.

REUTERS

10 de dezembro de 2010 | 20h42

O Brasil reconheceu na semana passada um Estado palestino baseado nas fronteiras antes da Guerra dos Seis Dias, em 1967. Nesta semana, a Argentina tomou decisão similar à brasileira e o Uruguai também anunciou o seu reconhecimento.

"Acreditamos que tal reconhecimento é prematuro", disse Burns a repórteres em Santiago.

"É somente através da negociação entre as partes, palestinos e israelenses, que poderemos realizar a solução de dois Estados".

Nesta semana, Israel classificou o reconhecimento dos países latino-americanos como uma "interferência altamente prejudicial" de países que nunca fizeram parte do processo de paz do Oriente Médio.

Em 1967, após a Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou a região oriental de Jerusalém, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza --territórios agora reconhecidos pelo governo brasileiro como parte do Estado palestino.

Palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado independente, mas Israel considera a cidade como sua capital eterna e indivisível.

(Reportagem de Simon Gardner)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPALESTINAPREMATURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.