EUA e Iraque acertam fixar 'horizonte de prazo' para retirada

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, e o primeiro-ministro do Iraque, Nurial-Maliki, concordaram que o acordo de segurança negociadoatualmente pelos dois países deve estipular um "horizonte deprazo" para a redução das forças norte-americanas presentes noterritório iraquiano, afirmou na sexta-feira a Casa Branca. Na manifestação que mais perto chegou de reconhecer anecessidade de haver algum tipo de cronograma para a retiradanorte-americana, o governo dos EUA disse que os negociadoresdos dois países buscariam "metas-alvo" para a retirada. Bush, um presidente impopular que enfrenta uma guerraimpopular no Iraque nos últimos meses de seu governo, semprerechaçou a possibilidade de fixar datas para reduzir ocontingente militar dos EUA no Iraque. Já o candidato democrata à Presidência norte-americana,Barack Obama, prometeu que, se eleito, retirará as tropas decombate do Iraque nos 16 primeiros meses de seu governo. Tentando rebater a idéia de que tenha ocorrido uma mudançade postura, a Casa Branca insistiu no fato de Bush e Maliki, emuma videoconferência realizada na quinta-feira, terem acertadoque qualquer corte no número de soldados "se basearia nomelhoramento constante das condições verificadas no Iraque enão em datas arbitrárias". Autoridades dos dois países debatem um Acordo sobre oStatus das Forças, que daria base legal para a permanência dasforças norte-americanas dentro do Iraque quando, no final doano, deixar de vigorar o atual mandato da Organização dasNações Unidas (ONU). Maliki, chamando atenção para a crescente confiança de seugoverno nas próprias forças de segurança em meio a uma quedanos níveis de violência, levantou a hipótese, na semanapassada, de fixar um cronograma para a retirada das tropasnorte-americanas. No entanto, e apesar da melhoria no cenário, as autoridadesdos EUA mostram-se cautelosas. Segundo a Casa Branca, Bush e Maliki "fixaram um caminhocomum para avançar rumo à conclusão dessas negociações o quantoantes". "Quanto à cooperação na questão da segurança, o presidentee o primeiro-ministro concordaram que a melhoria das condiçõesdeveria permitir que os acordos negociados hoje incluam umhorizonte genérico de prazo para a conclusão de metas-alvo --tais como a retomada, pelo Iraque, do controle sobre a área desegurança em cidades e Províncias e uma redução ainda maior notamanho das forças de combate dos EUA presentes no Iraque",afirmou a Casa Branca. (Reportagem adicional de David Alexander em Tucson eescritório em Bagdá)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.