EUA: 'Efeitos da crise econômica demorarão meses para passar'

Secretário do Tesouro americano disse hoje que a economia do país precisará de meses para se recuperar

EFE

20 de julho de 2008 | 18h18

O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, disse hoje que a economia do país precisará de meses para se recuperar da alta dos preços dos combustíveis, da desvalorização dos imóveis e da crise nos mercados financeiros.   "Atravessamos momentos desafiadores em nossa economia. Vamos viver um período de crescimento lento durante algum tempo. Acho que levaremos meses para sair desta faze", afirmou Paulson à rede de TV "CBS".   Apesar do cenário pouco animador, o secretário do Tesouro se mostrou confiante na aprovação, dentro do Congresso, de uma série de medidas propostas pelo Governo para ajudar as gigantes hipotecárias semi-estatais Fannie Mae e Freddie Mac.   "O Congresso entende a importância destas instituições", disse Paulson, que afirmou estar "muito otimista" quanto ao sinal verde que o Governo espera para ajudar as duas entidades. O funcionário quer que o Congresso autorize o Tesouro a adquirir participações na Fannie Mae e na Freddie Mac - que representam quase a metade do mercado hipotecário dos EUA - e a ampliar as linhas de crédito estatais oferecidas às duas companhias.   O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse ontem que as duas empresas têm um papel "central" no sistema hipotecário e são fundamentais na concessão de créditos em momentos difíceis como o atual.   Além disso, Paulson aproveitou a entrevista para lançar uma mensagem de calma e lembrar seus compatriotas de que os depósitos bancários de até US$ 100 mil estão totalmente assegurados. O funcionário também disse que ninguém perdeu um só centavo nos 75 anos de história da chamada Corporação Federal Seguradora de Depósitos.

Tudo o que sabemos sobre:
criseeconomiaeua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.