EUA entregam água e comida a 8 mil isolados pelo Isil no Iraque

Primeira operação humanitária foi concluída com sucesso; ataques aéreos contra radicais sunitas no país estão autorizados por Obama

O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2014 | 08h29

BAGDÁ - As Forças Armadas americanas concluíram na madrugada desta sexta-feira, 8, a primeira operação de envio de ajuda humanitária às 40 mil cristãos e yazidis cercadas pelo grupo radical sunita Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isil, na sigla em inglês) no Monte Sinjar, no Curdistão iraquiano. Segundo fontes militares americanas, cerca de 8 mil pessoas foram atendidas com o primeiro envio de água e alimentos. 

A operação foi concluída com sucesso e os aviões deixaram, sem perigo, o local da entrega. Os aviões de transporte foram escoltados por dois caças F-18 e concluíram o lançamento da ajuda durante 15 minutos, nos quais voaram em baixa altitude para facilitar a entrega. A missão foi considerada bem-sucedida e entregas adicionais devem ocorrer nos próximos dias.

O presidente dos EUA, Barack Obama, deu sinal verde para entregas contínuas sempre que for necessário, além de bombardeios contra o Isil. Os americanos também devem executar ataques aéreos contra militantes do Isil, que controlam grandes partes do norte e leste do Iraque. Nenhuma posição do Isil foi bombardeada hoje, mas a Força Aérea dos EUA está preparada para agir em qualquer momento.

Drama. Os refugiados são em sua maioria curdos yazidis e cristãos, que fugiram nos últimos dias da ofensiva jihadista e se encontram isolados em uma região montanhosa e desértica do norte do Iraque, com necessidade urgente de água, comida, abrigo e remédios.

Homens, mulheres e crianças têm pela frente um dilema trágico: descer das montanhas e ser massacrado pelos extremistas sunitas ou permanecer nelas e morrer de fome e sede./ EFE

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIsilIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.