EUA esperam até 7.000 soldados aliados a mais no Afeganistão

Os Estados Unidos esperam que seus aliados enviem de 5.000 a 7.000 soldados adicionais ao Afeganistão nas próximas semanas, disse uma fonte do Pentágono à Reuters na terça-feira.

REUTERS

02 de dezembro de 2009 | 09h13

David Sedney, subsecretário-assistente de Defesa para Afeganistão, Paquistão e Ásia Central, afirmou que um pequeno contingente já foi enviado para o Afeganistão para tarefas temporárias, que agora serão prorrogadas.

"Esperamos 5.000 a 7.000 contribuições de tropas que os aliados já fizeram ou farão em breve nas últimas semanas", disse Sedney. De acordo com ele, novas ofertas podem ser anunciadas numa conferência da Otan neste mês e em uma conferência internacional em 28 de janeiro.

O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou na terça-feira o envio de 30 mil soldados adicionais ao Afeganistão até meados de 2010, além da intenção de começar a desocupar o país num prazo de 18 meses.

De acordo com Sedney, o cronograma se baseia "num olhar muito cuidadoso", que inclui o impacto de mobilizações anteriores, que já mais do que duplicaram o contingente dos EUA no Afeganistão neste ano.

"Se as condições no terreno mudarem, como mudaram entre março e agora, sabemos que temos de olhar as coisas, avaliar as coisas e fazer os ajustes que precisarmos", disse ele.

Sedney disse que uma brigada com cerca de 9.000 marines deve começar a ser enviada neste mês.

O envio de reforços aumentará a sobrecarga das forças dos EUA, envolvidas em duas guerras - no Afeganistão e Iraque.

Soldados que voltam para os EUA têm direito a ficar um ano no país, e Sedney disse que essa regra deve ser mantida.

(Reportagem de Phil Stewart)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAALIADOSAJUDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.