EUA espionaram premiê iraquiano, afirma jornalista em livro

'Sabemos tudo o que Maliki diz', conta editor do 'Washington Post' em obra sobre a incursão dos EUA no Iraque

Agências internacionais,

05 de setembro de 2008 | 11h02

O governo dos Estados Unidos conduziu uma extensiva operação de espionagem contra o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, sua equipe e outras autoridades iraquianas, segundo afirma em seu novo livro o editor do jornal americano Washington Post Bob Woodward. "Nós sabemos tudo o que ele diz" afirma uma das muitas fontes citadas pelo jornalista, o quarto sobre o atual presidente da Casa Branca, George W. Bush, segundo a reportagem do jornal desta sexta-feira, 5, sobre a obra The War Within: A Secret White House History, 2006-2008 (Dentro da Guerra: a história secreta da Casa Branca, 2006 - 2008, em tradução livre), que será lançado na segunda-feira.   Segundo afirma Woodward, Maliki e outros membros do governo iraquiano foram alvos da grande operação de espionagem realizada pelos serviços de inteligência dos EUA para controlar os líderes do Executivo do país, informação que pode colocar em risco as relações com o premiê.   O Post afirma que a investigação realizada por Woodward mostra que o aumento do efetivo militar americano no Iraque, em 2007, quando Bush mandou cerca de 30 mil soldados adicionais para apoiar as forças iraquianas, não foi o único fator que influenciou na redução dos índices de violência durante os últimos 16 meses. Woodward afirma que quatro fatores combinados foram os responsáveis pela queda: as operações secretas, a movimentação das tropas, a trégua decretada pelo Exército Mahdi, liderado pelo clérigo xiita Moqtada al-Sadr e o chamado Despertar de Anbar (província separatista berço dos militantes), onde centenas sunitas se voltaram contra a Al-Qaeda no Iraque e se aliaram ao Exército americano.   Woodward dedica parte das 487 páginas do livro para a colaboração do interior da Casa Branca na estratégia desenvolvida no Iraque. A obra revela as queixas da atual secretária de Estado Condoleezza Rice sobre a informação que o ex-secretário de Defesa Donald Rumsfeld oferecia a Bush. "É uma fábula, uma história... Que evita os problemas reais", cita o livro.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.