EUA estudam impor sanções à Ucrânia

O Departamento de Estado dos Estados Unidos disse nesta quarta-feira que está estudando todas as opções, incluindo sanções, em relação à Ucrânia, onde a tropa de choque se lançou contra manifestantes durante a noite, depois de semanas de protestos contra o presidente ucraniano, Viktor Yanukovich.

Reuters

11 de dezembro de 2013 | 19h27

"Todas as opções, incluindo sanções, estão na mesa, de nosso ponto de vista, mas obviamente isso ainda está sendo avaliado", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, a repórteres, se esquivando de especificar que tipo de sanções poderiam estar sob consideração.

"Nós estamos analisando opções políticas. Obviamente ainda não foi tomada uma decisão. Sanções estão incluídas. Mas eu não vou entrar em especificidades", completou Psaki.

Os Estados Unidos criticaram as autoridades ucranianas por enviarem a tropa de choque, que depois se retirou da área, contra manifestantes revoltados com Yanukovich por ter cedido à pressão da Rússia e abandonado um acordo de livre comércio com a União Europeia.

Durante a noite as autoridades fizeram sua mais forte tentativa até agora de liberar as ruas, enviando batalhões da polícia antidistúrbios com buldôzeres para esvaziar a Praça da Independência, em Kiev. Houve confrontos, mas a polícia não entrou na sede da prefeitura, localizada nas imediações, e pela manhã já se havia retirado das ruas.

(Reportagem de Arshad Mohammed)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAUCRANIASANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.