EUA estudam retirar 30 mil soldados do Afeganistão até 2012

Com a saída de americanos, a Grã-Bretanha poderia acelerar retirada de suas tropas

Efe,

08 de junho de 2011 | 04h57

LONDRES - Os Estados Unidos estudam a possibilidade de retirar até o fim do ano que vem os 30 mil soldados com os quais reforçou sua presença militar no Afeganistão e, nesse caso, a Grã-Bretanha poderia acelerar a saída de suas tropas, segundo o jornal The Times.

 

De acordo com fontes britânicas citadas pelo periódico, as forças do Reino Unido desdobradas no país asiático devem reduzir-se em número superior aos 450 militares anunciados pelo primeiro-ministro do país, David Cameron.

 

Desta forma, a Grã-Bretanha irá acelerar seus planos de saída do Afeganistão se os EUA se anteciparem, e "o mais importante é que seja observado que fazemos isto em concordância com os americanos", declarou ao periódico uma autoridade do governo britânico.

 

Em artigo publicado no mesmo diário, Sherard Coper-Cowles, ex-enviado especial britânico a Afeganistão e Paquistão, insiste que o governo de seu país deveria insistir em repatriar mais rapidamente suas tropas do que desejam alguns generais.

 

"A questão a decidir é o calendário de saída do reforço de 30 mil soldados (dos EUA)", assinala o tenente-general David Barro, ex-comandante das forças americanas no Afeganistão, citado também pelo "The Times".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.