EUA fazem novo alerta ao Irã, que recebe enviado da UE

Os Estados Unidos alertaram naquarta-feira o Irã que "todas as opções estão sobre a mesa"para conter o programa nuclear do país, que nesta semana recebeuma nova oferta da comunidade internacional. Javier Solana, chefe da diplomacia da União Européia, irá aTeerã no fim de semana para discutir a proposta das grandespotências de conceder benefícios políticos e comerciais emtroca de o Irã abrir mão das atividades de enriquecimento deurânio. Mas a República Islâmica já deixou claro que não pretendeceder à exigência internacional. Contrariando as suspeitas doOcidente, o país diz que seu programa nuclear é pacífico,apesar de já ter sido alvo de três pacotes de sanções da ONU. Nesta semana, o presidente dos EUA, George W. Bush, disseque "um Irã com uma arma nuclear seria incrivelmente perigosopara a paz mundial". Em sua última visita como chefe de Estadoà Europa, ele buscou apoio por novas sanções ao país. Na quarta-feira, ele se reuniu com a chanceler(primeira-ministra) Angela Merkel em Meselberg (nordeste daAlemanha). "A primeira escolha da chanceler e minha, é claro,seria resolver isso diplomaticamente..., mas todas as opçõesestão sobre a mesa", disse Bush, numa referência à ameaça deuma ação militar. Seus aliados europeus se mostram disposto a ajudá-lo aconter o Irã, mas já parecem mais preocupados em quais atitudesvai tomar o próximo presidente dos EUA, que toma posse emjaneiro. Em Bruxelas, Solana disse esperar que o Irã participe de umnovo processo para resolver o impasse diplomaticamente, emboratenha minimizado a perspectiva de acordo. "Esperamos muito que haja um resultado positivo da visita eque não seja só uma visita, que seja um processo que reinicie atentativa de encontrar uma solução diplomática para a crise",afirmou a jornalistas. Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança daONU -- EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China -- mais aAlemanha decidiram no mês passado ampliar o pacote debenefícios destinado a convencer o Irã a abandonar o programaatômico. (Reportagem adicional de Zahra Hosseinian em Teerã, MattSpetalnick e Kerstin Gehmlich em Meseberg, Alemanha, e WilliamSchomberg e Ingrid Melander em Bruxelas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.