EUA indiciam 6 sob acusação de apoio ao terrorismo

As seis pessoas são acusadas de dar apoio ao Taleban, no Paquistão

Agência Estado-Dow Jones

14 de maio de 2011 | 14h01

Procuradores federais norte-americanos indiciaram seis pessoas, entre elas dois imãs de mesquitas situadas na Flórida, sob acusações que incluem dar apoio ao Taleban do Paquistão. Segundo o procurador Wilfredo Ferrer, foram presos o imã da Mesquita de Miami, Hafiz Muhammed Sher Ali Khan, de 76 anos, seu filho Izhar Khan, 24, imã da mesquita da cidade próxima de Margate, e outro filho, Irfah Khan, 37, todos eles cidadãos norte-americanos residentes no Sul da Flórida.

Os outros acusados, que não foram presos, são Amina Khan (filha de Hafiz Khan), o filho dela, Alam Zeb, e Ali Rehman, todos residentes no Paquistão.

Todos os seis foram acusados de conspiração, ou formação de quadrilha, e de prover apoio material para o grupo Tehrik-e Taliban Pakistan, também conhecido como "Taleban do Paquistão". Nesta sexta-feira, essa organização assumiu a autoria do ataque a bomba que deixou 80 mortos no Norte do Paquistão, como vingança pelo assassinado do líder terrorista Osama bin Laden. O grupo também é considerado responsável pela tentativa de detonar uma bomba em Times Square, em Nova York, em 2010.

"Apesar de ser um imã, ou líder espiritual, Hafiz Khan não era, de nenhuma maneira, um homem de paz. Ao invés disso, como mostram as acusações apresentadas hoje, eles agiu junto com outros para apoiar terroristas em novos atos de assassinato, sequestro e mutilação", disse Ferrer.

John Gillies, agente especial a cargo do escritório do FBI em Miami, disse que "os integrantes muçulmanos e árabes-americanos de nossa comunidade não devem ser julgados pelas atividades ilegais de uns poucos".

Segundo os procuradores federais, as autoridades gravaram conversas telefônicas nas quais Hafiz Khan teria proposto ataques terroristas no Paquistão; entre os alvos estaria a sede do Parlamento paquistanês. Anteriormente, Khan também teria sido o diretor de uma escola islâmica na região de Swat, no Paquistão, usada como ponto de apoio para o Taleban do Paquistão; essa escola teria enviado crianças para o Afeganistão, onde elas teriam recebido treinamento para matar soldados das forças dos EUA que ocupam aquele país.

Os acusados que já foram presos deverão se apresentar perante um juiz na segunda-feira.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.