EUA investigarão ONGs à procura de elos com terror, diz jornal

Os Estados Unidos pretendem avaliaro perfil de milhares de pessoas empregadas por organizações deajuda que recebem dinheiro da Agência para o DesenvolvimentoInternacional, uma entidade dos EUA, afirmou o jornal TheWashington Post na quinta-feira. A operação pretende identificar eventuais ligações dessaspessoas com organizações terroristas. Apresentado em um recente documento do Registro Federal, oprograma exige pela primeira vez que as organizaçõesnão-governamentais forneçam informações detalhadas sobre aspessoas que requerem ou que controlam dinheiro distribuído pelaagência norte-americana de ajuda, disse o jornal. Segundo o documento do Registro Federal, o programa poderiaabarcar até 2.000 pessoas e "entrará em vigor no dia 27 deagosto", o último dia do prazo dado pelas autoridades para quea opinião pública manifeste-se sobre ele, afirmou a reportagem. O jornal disse que as ONGs seriam instadas a fornecer umaampla gama de informações sobre alguns funcionários graduados,entre as quais nome, endereço, data e local de nascimento,nacionalidade, número da Seguridade Social e número dopassaporte. Os dados coligidos servirão para "realizar uma avaliaçãonacional de segurança" a fim de garantir que essas pessoas nãopossuem laços com entidades ou indivíduos "ligados aoterrorismo" ou "considerados um risco para a segurançanacional", afirmou o Post. Segundo a publicação, uma operação do tipo costuma envolvero envio de dados ao FBI (polícia federal) e a outras agênciasde inteligência e da polícia a fim de verificar se há algumregistro sobre as pessoas em pauta. A exigência de que se informem números de telefone e faxalém de endereços de email indica que a informação seriacomparada com dados coletados como parte de um programa debusca por terroristas realizado por agências de inteligênciados EUA, disse o jornal. Até agora, cabia às ONGs verificar o perfil de seusfuncionários e então informar à Agência para o DesenvolvimentoInternacional que não contrataram ninguém associado com pessoasou grupos considerados terroristas pelo governonorte-americano, afirmou o Post. (Por JoAnne Allen)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.