EUA irão financiar milícias afegãs contra Taleban, afirma jornal

'Forma de resistir aos talebans é fortalecer as comunidades para que possam proteger aldeias', diz embaixador

Efe,

23 de dezembro de 2008 | 16h36

O governo do Afeganistão usará fundos americanos para recrutar milícias tribais para combater talebans, informou nesta terça-feira, 23, o Wall Street Journal. O chefe do Estado-Maior Conjunto americano, almirante Mike Mullen, que voltou nesta terça-feira a Washington após visita ao Paquistão, disse que "talvez se tenha enfatizado demais" o enfoque no estabelecimento de um governo central forte no Afeganistão. Veja também:EUA podem dobrar tropas no Afeganistão em 2009 Os Estados Unidos deveriam se voltar mais agora "para o fortalecimento das comunidades, das tribos e de seus chefes", acrescentou Mullen, segundo o Journal. O embaixador americano em Cabul, William Wood, afirmou, por sua vez, que "a forma de resistir hoje aos talebans é fortalecer as comunidades para que possam proteger suas aldeias, seus campos, seus povos e seus vales." "Historicamente, o Afeganistão sempre foi um país onde as comunidades locais se defendem sozinhas", argumentou Wood. Além disso, Mullen avaliou que a resposta no longo prazo para o terrorismo no sul da Ásia demanda "uma estratégia regional que inclua Paquistão, Afeganistão, Índia e outras nações do centro da Ásia." Em declarações feitas durante viagem de Islamabad a Washington e divulgadas nesta terça pela Agência de Notícias das Forças Armadas, Mullen declarou que "a relação entre EUA e Paquistão é crucial." Durante sua visita ao Paquistão, a sétima ao país desde que assumiu seu cargo em outubro de 2007, Mullen se reuniu com o chefe do Estado-Maior do Exército local, o general Ashfaq Kayani, e o diretor-geral da agência de inteligência paquistanesa, o tenente-general Ahmed Pasha.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.