EUA lamentam tratamento dado a diplomata indiana detida em NY

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, telefonou ao conselheiro de Segurança Nacional da Índia e lamentou o ocorrido com uma diplomata na semana passada, obrigada a ficar sem roupas para ser revistada após sua prisão em Nova York por acusações que incluíam fraude no visto, informou o Departamento de Estado nesta quarta-feira.

ARSHAD MOHAMMED, Reuters

18 de dezembro de 2013 | 19h43

O telefonema de Kerry ao conselheiro Shivshankar Menon, divulgado pelo Departamento de Estado, tem como objetivo aplacar a crise diplomática iniciada com a prisão no dia 12 de dezembro da diplomata indiana Devyani Khobragade, acusada de fraudar o visto e pagar indevidamente a sua babá, também indiana.

"Como pai, com duas filhas quase da mesma idade de Devyani Khobragade, o secretário demonstrou compreender a sensibilidade do que estamos ouvindo da Índia sobre os fatos surgidos depois da prisão da senhora Khobragade", disse a porta-voz do Departamento dd Estado, Marie Harf, em um comunicado por escrito, referindo-se à diplomata indiana.

"Em sua conversa com o conselheiro de Segurança Nacional Menon, (o secretário Kerry) expressou seu pesar, bem como sua preocupação com que não deixemos que essa infeliz questão pública afete nosso relacionamento estreito e vital com a Índia", acrescentou Marie.

A Índia reagiu furiosamente ao que considerou um tratamento degradante dado a Devyani, vice-cônsul-geral no Consulado da Índia em Nova York, que se queixou de ter sido despida e forçada a se submeter a "revistas em cavidades" durante o período em que ficou detida.

(Reportagem adicional de Chris Francescani, em Nova York; e de Shyamantha Asokan e Frank Jack Daniel, em Nova Délhi)

Tudo o que sabemos sobre:
EUADIPLOMATAINDIANA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.