EUA libertam três moradores britânicos presos em Guantánamo

Três moradores da Grã-Bretanha presosno centro de detenção norte-americano na baía de Guantánamo porsuspeita de terrorismo foram soltos e devem voltar a suas casasna próxima quarta-feira, após mais de quatro anos detidos. O jordaniano Jamil el-Banna, 45 anos, o líbio OmarDeghayes, 37, e o argelino Abdennour Sameur, 33, devem chegar aum aeroporto ao norte de Londres acompanhados de um médico esob escolta da polícia antiterrorismo, informaram os advogadosdos presos. A libertação segue anos de campanha de suas famílias, quepediam pela liberdade dos presos e pressionaram o governobritânico nos últimos quatro meses para convencer os EstadosUnidos de que não há provas contra eles. "Eu parabenizo o governo de Brown por garantir a libertaçãodos prisioneiros", disse Clive Stafford Smith, diretor daReprieve, uma instituição sem fins lucrativos que defendeu osacusados, referindo-se à administração do primeiro-ministrobritânico, Gordon Brown. "Estas são pessoas que passaram por chocantes abusos",disse ele. Advogados de Deghayes disseram que ele ficou cego deum olho como resultado de espancamentos sofridos sob custódiados EUA. Autoridades norte-americanas não comentam sobre acondição do preso condições. Smith disse esperar que os três homens sejam interrogadosbrevemente pela polícia britânica antes de serem libertados. Deghayes e Sameur foram presos no Paquistão após a invasãonorte-americana no país, embora não haja motivos específicospara a prisão deles. Banna foi preso em um aeroporto em Gambia,oeste da África, em novembro de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.