EUA mandarão seis presos em Guantánamo de volta ao Iêmen

Atualmente, 97 dos 210 suspeitos de terrorismo presos na base são iemenitas, segundo Washington Post

18 de dezembro de 2009 | 14h17

Os Estados Unidos devem repatriar nos próximos dias seis iemenitas presos na base naval de Guantánamo, em Cuba, para seu país de origem.

A informação, adiantada nesta sexta-feira, 18, pelo jornal 'the Washington Post', foi confirmada por um diplomata iemenita.

Atualmente, 97 iemenitas estão presos em Guantánamo. Os EUA começaram a usar a base em 2002 para abrigar suspeitos de terrorismo presos na guerra ao terror. O presidente Barack Obama deve fechar a base no começo do ano.

VEJA TAMBÉM:
lista Artigo: Guantánamo é uma bomba-relógio
lista Saiba mais sobre a prisão de Guantánamo

O governo ainda não decidiu o que vai fazer com todos os cerca de 215 prisioneiros que permanecem detidos em Guantánamo, que fica na Ilha de Cuba.

Entre os prisioneiros que permanecem em Guantánamo, a expectativa é de que parte deles seja enviada a outros países, enquanto outros poderão ser julgados em tribunais americanos, como é o caso de Khalid Sheik Mohammed, acusado de planejar o 11 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaGuantánamoEUAIêmen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.