EUA mantêm prisão secreta no Afeganistão, diz jornal

Segundo 'New York Times', Cruz Vermelha não tem acesso ao local, usado para interrogário de prisioneiros

estadao.com.br,

28 Novembro 2009 | 16h45

Os Estados Unidos possuem uma prisão secreta em uma base no Afeganistão onde prisioneiros são mantidos por semanas, informou o jornal The New York Times em sua edição online neste sábado, 28. De acordo com a reportagem, a Cruz Vermelha não tem acesso ao local, que possui celas individuais de concreto, sem janelas -- o único contato humano é feito nas sessões de interrogatório.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

Segundo o diário, a ordem dada pelo presidente norte-americano Barack Obama para eliminar prisões secretas da CIA não se aplicam a este centro de detenção, que é conduzido pelas Forças de Operações Especiais. Detentos citados pelo jornal disseram que o local é chamado de prisão negra.

 

Militares afirmaram ao New York Times que recentemente a prisão afegã e outra detenção parecida no Iraque estavam sendo usadas para interrogar presos importantes. De acordo com os oficiais, não há plano para fechar essas prisões.

 

Em agosto, a administração Obama determinou que os detentos poderiam ficar presos em locais secretos por duas semanas, modificando a política anterior que possibilitava extensões.

 

Ainda segundo o New York Times, oficiais da Casa Branca e do Pentágono não puderam comentar o assunto publicamente. Defensores dos direitos humanos ouvidos pelo diário afirmaram que detenções como essa contradizem as políticas de Obama.

 

Jonathan Horowitz, pesquisador de direitos humanos do Open Society Institute, disse acreditar que "as necessidades da guerra requeriam que os Estados Unidos prendessem pessoas, mas havia limites em como prender."

Mais conteúdo sobre:
EUA Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.