EUA manterão iniciativa de melhorar relações com Rússia

A Casa Branca prometeu neste sábado a continuar com a política de melhorar as relações dos Estados Unidos com a Rússia, independente de quem assuma a presidência russa, afirmando que não é uma questão de "personalidades individuais", mas de interesse nacional.

MARR S, REUTERS

24 Setembro 2011 | 15h34

"Estamos muito confiantes de que podemos continuar o progresso feito durante a administração Obama", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Tommy Vietor, depois que Vladimir Putin declarou que planeja disputar a eleição à presidência da Rússia, em março.

Desde que assumiu a Casa Branca em 2009, Obama definiu como prioridade da agenda externa reparar as relações com Moscou, que foram fragilizadas no final da presidência de Putin quando George W. Bush também estava no final de um período de 8 anos no poder em Washington.

O "reset", como o governo de Obama chamou a iniciativa, rendeu um novo tratado de redução de armas nucleares entre EUA e Rússia e o que Washington considera como uma cooperação diplomática melhorada, incluindo ajuda na pressão contra o Irã e seu programa nuclear.

"O reset sempre teve a ver com interesse nacional, não com personalidades individuais", disse o porta-voz da Casa Branca.

Como primeiro-ministro, Putin foi por algumas vezes crítico ferrenho das políticas de Washington. Ele causou furor em Washington no mês passado quando acusou os EUA de viverem além de suas condições, "como um parasita" da economia global.

"Vamos continuar progredindo com a política de relacionamento independente de quem seja o próximo presidente da Rússia, porque acreditamos que isto é do interesse mútuo dos EUA e da Rússia e do mundo", disse Vietor.

Mais conteúdo sobre:
EUARUSSIARESET*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.