Reuters
Reuters

EUA matam criança de 4 anos por acidente e agravam crise com Cabul

Morte de criança de quatro anos faz governo pedir fim de operações da Otan no país

O Estado de S. Paulo,

10 de janeiro de 2014 | 08h12

CABUL - Forças dos Estados Unidos no Afeganistão mataram por acidente um menino afegão de quatro anos, disseram autoridades do Afeganistão nesta sexta-feira, no mais recente incidente a abalar as relações entre os dois aliados.

Os laços EUA-Afeganistão foram prejudicados pela recusa do presidente afegão, Hamid Karzai, em assinar um acordo bilateral de segurança que possibilitaria a presença militar norte-americana no Afeganistão após a saída da maior parte das tropas estrangeiras, este ano.

Os EUA afirmam que não podem manter tropas no país sem um acordo assinado. A retirada completa das forças norte-americanas deixaria o Afeganistão por sua própria conta para combater o Taleban.

Karzai exige o fim de todas as operações militares unilaterais dos EUA em território afegão, entre outras coisas, para assinar o pacto. Segundo ele, essas ações causam mortes de civis.

"Nós pedimos... o fim absoluto das operações militares da Otan/Isaf em casas e vilarejos de forma a evitar tais mortes, em que crianças e civis inocentes são as vítimas", disse o porta-voz do presidente, Aimal Faizi, ao comentar sobre a morte do menino. Isaf é a sigla da missão liderada pela Otan no Afeganistão.

Um porta-voz do governo da violenta província de Helmand disse que marines dos EUA atiraram por engano no menino, na quarta-feira, porque a visibilidade era ruim.  / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.