EUA negam vistos para autoridades iranianas, diz agência

Segundo rede estatal de notícias iraniana, delegação do país participaria de reunião da ONU

Reuters

17 de novembro de 2012 | 16h27

DUBAI - Os Estados Unidos negaram vistos para autoridades iranianas que se dirigiam a uma reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York, informou a agência de notícias estatal do Irã neste sábado, 17.

O Centro de Direitos Humanos, órgão ligado ao poder judiciário iraniano, disse, em um comunicado, que integrantes de uma delegação iraniana pretendiam viajar para atender a uma reunião do Terceiro Comitê da ONU, o qual se concentra em questões sociais e de direitos humanos, informou a agência estatal iraniana de notícias Irna.

"O governo dos EUA, com a não emissão dos vistos para os membros da delegação, quer arruinar a possibilidade da presença dela na reunião, e evitar que os seus membros realizem a missão de interagir e cooperar com as Nações Unidas", afirma o comunicado, de acordo com a Irna. O corpo judiciário pediu às autoridades da ONU que façam uma advertência aos EUA contra tais decisões e o lembrem de suas obrigações como país anfitrião da ONU.

A agência não disse quantos funcionários iranianos haviam pedido os vistos ou quando queriam viajar. A Embaixada da Suíça, que lida com serviços consulares dos EUA no Irã, não respondeu imediatamente a um pedido de comentários. O Departamento de Estado norte-americano não estava disponível para comentários.

Como país-sede da ONU, os EUA têm uma política de emitir vistos para membros de delegações, em linha com o pacto de 1947 com a ONU, independentemente das disputas com países, quaisquer que sejam.

Entretanto, os EUA às vezes recusam a entrada de autoridades e profissionais do Irã, país com o qual não possuem laços diplomáticos desde 1979. Os EUA acusam o Irã de buscar armas nucleares, mas Teerã nega.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIrãONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.