EUA pedem paciência para envio de mais tropas ao Afeganistão

Antes de antender pedido de generais, Obama quer rever estratégia militar americana no país

Efe,

22 de setembro de 2009 | 11h44

O governo dos EUA pediu aos seus comandantes militares no Afeganistão que esperem o presidente Barack Obama concluir a revisão de sua estratégia no país antes de pedirem o envio de mais tropas, segundo publicou nesta terça-feira, 22, o jornal The Wall Street Journal.

 

Veja também:

especial Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão 

video Vídeo: Correspondente do 'Estado' fala do conflito no país

 

A publicação, que cita fontes do Pentágono, destaca que a Casa Branca pediu este tempo para que possa rever sua campanha no Afeganistão. Segundo as fontes, "as coisas mudaram consideravelmente sobre o terreno" e é preciso garantir que a estratégia adotada pelos EUA é a correta.

 

As forças americanas invadiram o Afeganistão em outubro de 2001, após os ataques terroristas de 11 de setembro. Oito anos depois, os EUA mantêm em solo afegão cerca de 68 mil soldados.

 

O chefe das forças militares americanas no Afeganistão, o general Stanley McChrystal, enviou a Washington um relatório no qual pede mais tropas. Algumas versões sustentam que o oficial pediu mais 40 mil soldados, o que elevaria o contingente americano no Afeganistão para mais 100 mil.

 

No entanto, segundo o Wall Street Journal, o governo pediu "ao comandante McChrystal para que atrase a apresentação do pedido de tropas ao Pentágono por indicação do secretário de Defesa, Robert Gates, e outros funcionários civis".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.