EUA pedem que Jimmy Carter não se reúna com representantes do Hamas

Segundo jornal, ex-presidente americano planeja se reunir com Meshaal na próxima semana

EFE

10 de abril de 2008 | 18h27

O Governo dos Estados Unidos advertiu nesta quinta-feira, 10, o ex-presidente Jimmy Carter para que não se reúna com representantes do Hamas, após informações de que poderia se encontrar com o líder desse grupo extremista palestino, Khaled Meshaal, na capital da Síria. Em declarações hoje à imprensa, o porta-voz do Departamento de Estado americano Sean McCormack indicou que se Carter viajar para Damasco, terá o apoio que corresponde a um ex-presidente, mas "não participará de nenhum preparativo ou organização de nenhuma reunião com representantes do Hamas na Síria". "De fato, advertimos (Carter) contra a possibilidade de uma reunião desse tipo", pois "não convém nem à nossa política e nem aos interesses da paz", afirmou McCormack, lembrando que os EUA consideram o Hamas uma organização terrorista. A recomendação ao ex-presidente americano foi transmitida pelo secretário de Estado adjunto para o Oriente Médio, David Welch, em uma ligação telefônica na semana passada, explicou o porta-voz. O jornal "The Washington Post" afirmou hoje que Carter planeja se reunir com Meshaal na próxima semana em Damasco. O Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza em junho do ano passado, após confrontos com o movimento palestino moderado Fatah. Desde então, Israel bloqueou o acesso à faixa, onde só entram produtos de primeira necessidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Jimmy CarterHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.