EUA pode ceder asilo político a vítimas de violência doméstica

Departamento de Segurança Interna sinalizou positivamente pela medida ao pedir revisão do caso de mexicana

Associated Press,

16 de julho de 2009 | 19h01

O Departamento de Segurança Interna dos EUA estudam a possibilidade de conceder asilo político a imigrantes que tenham sido vítimas de violência doméstica, informou um porta-voz do órgão na quarta-feira, 15.

 

A manobra, que representa uma mudança na política de governo de George W. Bush, se dá no momento em que o governo pediu que o caso de uma mulher mexicana que diz ter sido fortemente agredida por seu marido seja revisado.

 

O porta-voz do Departamento, Matthew Chandler, disse que a agência "continua considerando a violência doméstica como uma possível base para solicitar asilo nos Estados Unidos".

 

A solicitação de asilo da mulher foi recusada por um juiz de imigração de são Francisco há dois anos, e a mexicana apelou à Junta de Apelações de Arlington, na Virgínia. O departamento pediu que o caso fosse revisado, argumentando que, em alguns casos, o asilo pode ser concedido a vítimas de violência doméstica.

 

Chandler explicou que os pedidos de asilo político baseados em acusações de violência doméstica são "muito complexas" e que o governo"está interessado em desenvolver regulamentações que solucionem esses casos".

 

Karen Musalo, a advogada da mulher agredida, tornou públicos os arquivos do caso na quarta-feira para destacar o que ela descreveu como uma troca de política "muito nova e significativa" entre a administração de Bush e a do atual presidente, Barack Obama.

 

A cliente de Musalo, que não foi identificada no documento apresentado no tribunal, chegou aos EUA em 2004 com dois de seus filhos. Segundo ela, o pai das crianças abusou dela no México e por isso pediu asilo nos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.