EUA podem apreender laptops de turistas, diz jornal

'Post' diz que conteúdo de equipamentos pode ser compartilhado com agências e entidades privadas

REUTERS

01 de agosto de 2008 | 08h52

Os agentes federais dos Estados Unidos poderão apreender laptops e outros aparelhos eletrônicos em suas fronteiras, mantendo-os em seu poder por período indeterminado, informou o jornal Washington Post na edição desta sexta-feira, 1.Segundo o Departamento de Segurança Interna, a apreensão pode ser feita mesmo que não haja suspeita de crime, segundo o jornal, que diz ter consultado as políticas oficializadas em 16 de julho por duas agências do órgão.  Os agentes podem compartilhar o conteúdo dos computadores apreendidos com outras agências e entidades privadas para descrever os arquivos e por outras razões. As autoridades do Departamento de Segurança Interna disseram que as políticas se aplicam a qualquer pessoa que entrar no país, inclusive cidadãos americanos, e servem para prevenir o terrorismo.  As medidas já são implementadas há algum tempo, mas somente foram oficializadas em julho, apesar da pressão de grupos em defesa das liberdades civis e relacionados com viagens de negócios. Os grupos criticam o número crescente de laptops, celulares e outros aparelhos digitais tomados de turistas estrangeiros. A política se aplica a discos rígidos, pen drives, celulares, iPods, pagers e fitas de vídeo e áudio - assim como livros, panfletos e outros materiais impressos, segundo a reportagem.  As políticas exigem que os agentes federais tomem medidas para proteger informações e material sigiloso de advogados e seus clientes. E estipulam que qualquer cópia dos dados devem ser destruídas assim que a análise for concluída, já que não há razão para manter os arquivos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.