EUA querem que tropas do Canadá permaneçam no Afeganistão

Hillary sugeriu que soldados canadenses continuem dando apoio logístico no país após 2011

29 de março de 2010 | 20h43

Associated Press

 

OTAWWA- A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou nesta segunda-feira, 29, que os Estados Unidos gostariam que tropas canadenses ficassem no Afeganistão até depois de 2011, e sugeriu que a estratégia militar no país pode mudar para uma de treinamento.

 

Veja também:

link'China pode ajudar a resolver impasse com o Teerã', diz Hillary

linkChanceler russo relaciona insurgência estrangeira a atentado em Moscou

 

O Parlamento canadense definiu que a missão militar em Kandahar, com cerca de 2.900 soldados, terminará em 2011.

 

"Nós obviamente gostaríamos de ver algum tipo de apoio continuar", disse Hillary. "A estratégia militar poderia ser mais de treinamento, ao invés de combate, um suporte logístico em vez de combates na linha de frente", acrescentou.

 

Catherine Loubier, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores canadense, disse que embora a missão canadense no país do Oriente Médio termine em 2011, oficiais avaliam a possibilidade de permanecer no local após a data.

 

No entanto, o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper,afirmou que seu país não tem intenções de manter soldados no Afeganistão.

 

Hillary está no Canadá para uma reunião do G-8. No encontro, os ministros de Relações Exteriores da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, frança, Rússia, Reino Unido, Itália e Japão debaterão sanções ao Irã e as ameaças do terrorismo.

 

O grupo divulgou um comunicado no qual condena os ataques a bomba no metrô de Moscou que mataram 38 pessoas e feriram mais de 70 na manhã desta segunda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.