EUA reconhecem Karzai como líder legítimo e pressionam por ações

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta segunda-feira ter conversado com o presidente afegão, Hamid Karzai, e pressionado-o para um governo melhor e contra corrupção após uma eleição "confusa".

REUTERS

02 Novembro 2009 | 18h48

Obama também disse a Karzai querer ver ações e que irá monitorar a situação para garantir progresso no Afeganistão.

Mais cedo, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que os EUA reconhecem Karzai como presidente legítimo do Afeganistão e que a decisão de Obama sobre o envio de mais soldados norte-americanos ao país segue distante.

Karzai se reelegeu após o cancelamento do segundo turno da eleição presidencial afegã, programado para 7 de novembro, após a retirada da candidatura do líder opositor, Abdullah Abdullah.

Várias autoridades do governo norte-americano afirmaram que uma das questões sendo debatidas sobre a decisão de Obama de aumentar as tropas no Afeganistão era se os Estados Unidos teriam um parceiro confiável para se trabalhar no governo afegão.

Gibbs, em sua conferência diária, disse que a decisão de Obama será feita "nas próximas semanas" e que a Casa Branca nunca disse que Obama gostaria de esperar até o fim da eleição para anunciar sua decisão.

(Reportagem de Steve Holland e Caren Bohan)

Mais conteúdo sobre:
EUA AFEGANISTAO KARZAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.