EUA relatam voos rasantes de russos sobre navio norte-americano

A aviação naval russa fez repetidos voos rasantes sobre um navio militar norte-americano na semana passada, num incidente típico da Guerra Fria, que foi levado pelo chefe de operações da Marinha dos EUA ao seu homólogo russo.

REUTERS

17 de setembro de 2010 | 18h14

O navio USS Taylor não chegou a entrar em alerta por causa dos incidentes nos dias 10 e 11 de setembro, em águas internacionais do mar de Barents, na costa noroeste da Rússia.

"O barco não recebeu isso como (um ato) hostil", disse o coronel Dave Lapan.

A embarcação havia acabado de visitar o porto russo de Murmansk, numa homenagem a veteranos da Segunda Guerra Mundial dos dois países.

No dia seguinte, 10 de setembro, uma patrulha marítima russa passou a apenas 45 metros do USS Talyor, a somente 30 metros acima do nível do mar. Depois, passou diretamente sobre o navio, a 610 metros de altura.

No outro dia, um navio russo nos arredores enviou um helicóptero, que passou novamente a apenas 45 metros do USS Taylor.

"Ambos os lados estão discutindo agora para determinar se os protocolos adequados foram seguidos", disse Lapan. "É uma ocorrência bastante rara."

O chefe de operações da Marinha dos EUA, almirante Gary Roughead, levantou a questão com o seu homólogo russo, Vladimir Vysotskiy, durante uma visita na quarta-feira de uma delegação de alto nível de defesa da Rússia no Pentágono.

Há um ano, dois submarinos nucleares russos patrulharam a Costa Leste dos EUA, no que autoridades norte-americanas interpretaram como um esforço de Moscou para demonstrar presença militar.

(Reportagem de Phil Stewart)

Tudo o que sabemos sobre:
EUARUSSIAVOOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.