EUA retiram acusações contra 5 presos de Guantânamo

Uma autoridade do Pentágono que verifica a corte de crimes de guerra de Guantânamo arquivou nesta terça-feira todas as acusações pendentes contra cinco prisioneiros, incluindo um britânico acusado de tentar um ataque usando uma "bomba suja" radioativa. O Departamento de Defesa não deu nenhuma razão para a medida e disse que as acusações foram retiradas sem discriminação, o que significa que podem ser reabertas depois. Mas a medida acontece depois que o governo norte-americano se recusou a prosseguir com a acusação de ataque com "bomba suja" em um caso da corte de Washington, em que o britânico nascido na Etiópia Binyam Mohammed é acusado de ser "combatente inimigo". Mohammed disse repetidas vezes que sua confissão é falsa e foi feita sob tortura em uma prisão marroquina. A escolhida do Pentágono para inspecionar os tribunais de Guantânamo, Susan Crawford, retirou todas as acusações contra Mohammed e os detentos sauditas Jabran al Qahtani e Ghassan al Sharbi, além do argelino Sufyian Barhoumi e o sudanês Noor Uthman Muhammed, informou um comunicado do Departamento de Defesa. Qahtani, Sharbi e Barhoumi eram acusados de tentar construir detonadores por controle remoto e colocá-los em carros que seriam usados contra as forças norte-americanas no Afeganistão. Muhammed foi acusado de ser instrutor de um campo de treinamento da Al Qaeda. (Por Jane Sutton)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.