EUA se dizem alarmados com relatório da AIEA sobre o Irã

Os Estados Unidos expressaram alarme nesta sexta-feira sobre a nova evidência de que o Irã subestimou a quantidade de urânio que enriqueceu, classificando o programa nuclear de Teerã um "problema urgente" que a comunidade internacional deve enfrentar. Um novo relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), divulgado esta semana, disse que o Irã aumentou seu estoque de combustível nuclear. Diplomatas disseram que o Irã subestimou em um terço a quantidade de urânio enriquecido mas que a AIEA acredita que a diferença foi um erro técnico e não um subterfúgio. "O relatório representa outra oportunidade perdida para o Irã enquanto continua a renegar suas obrigações internacionais", disse o porta-voz da Casa Branca Robert Gibbs, reforçando comentários anteriores do Departamento de Estado norte-americano. "(O relatório) reforça a urgência que a comunidade internacional deve trabalhar junta para enfrentar essas atividades de enriquecimento. Este é um problema urgente que precisa ser enfrentado e nós não podemos adiar", disse Gibbs. Os Estados Unidos suspeitam que o Irã está tentando usar seu programa nuclear para fabricar uma bomba atômica, mas Teerã insiste que é para a geração de energia. Urânio enriquecido pode ser usado na construção de armas nucleares. (Reportagem de Ross Colvin)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.