EUA tentarão integrar Conselho de Direitos Humanos da ONU

Intenção do governo Obama representa mudança completa em relação à política Bush, que votou contra órgão

Efe,

31 de março de 2009 | 20h33

Os Estados Unidos buscarão se incorporar ao Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU, após terem ficado afastados da máxima instância internacional nesta matéria desde a sua criação, em maio de 2006, disse nesta terça-feira, 31, a embaixadora americana nas Nações Unidas, Susan Rice. "Decidimos participar das eleições deste ano ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, com a meta de torná-lo um órgão mais eficaz", disse Rice em entrevista coletiva realizada por telefone.

 

A diplomata americana ressaltou que o país se candidatará à seleção dos novos membros do Conselho de Direitos Humanos, que ocorrerá no dia 12 de maio na Assembleia Geral das Nações Unidas. A medida adotada pelo governo do presidente dos EUA, Barack Obama, representa uma mudança completa em relação à política de seu antecessor, George W. Bush, que se recusou a participar do órgão e votou contra a criação do órgão por considerá-lo dominado por países que violavam os direitos humanos.

 

Rice ressaltou que a decisão anunciada nesta terça-feira se insere na política externa delineada por Obama, na qual se valoriza a diplomacia e a participação nas instituições multilaterais em lugar do confronto. Ao mesmo tempo, afirmou que os Estados Unidos compartilham "a preocupação" expressada por alguns países e organizações de direitos humanos de que "a trajetória do Conselho foi alarmante."

 

"Nossa opinião é que, se vencermos a eleição, poderemos trabalhar de dentro, em vez de ficarmos à margem, e que essa é uma melhor maneira de fazer avançar a agenda dos direitos humanos e conseguir a reforma deste órgão", acrescentou. Rice lembrou que os membros do Conselho são eleitos a termos de três anos, e que, portanto, os vencedores nas próximas eleições terão a oportunidade de participar do processo de revisão da estrutura e procedimentos do órgão que acontecerá em 2011.

 

"Achamos que as vítimas de violações dos direitos humanos precisam de um Conselho que seja equilibrado, crível e efetivo, e nos comprometemos a fazer a reforma necessária", acrescentou. O Conselho de Direitos Humanos, que, em 2006, substituiu a antiga e politizada Comissão de Direitos Humanos, tem sua sede em Genebra. O órgão realiza três períodos de sessões ao ano e é integrado por 47 membros escolhidos por maioria na Assembleia Geral.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUEUAdireitos humanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.