EUA transferem dois presos de Guantánamo para Argélia e Cabo Verde

Com transferências, número de detentos em prisão que já deveria ter fechado cai para 178

Efe e Reuters,

19 de julho de 2010 | 23h15

WASHINGTON- O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, 19, a transferência de dois detentos da prisão da base de Guantánamo, em Cuba, para Argélia e Cabo Verde.

 

Aziz Abdul Naji foi levado para a Argélia, seu país de origem, enquanto Abd al Nisr Mohammed Khantumani "será reacomodado em Cabo Verde", diz um comunicado do Pentágono.

 

De acordo com a nota, os dois presos "receberam a aprovação para sua transferência por unanimidade entre todas as agências implicadas" na decisão.

 

Com a ida de Naji e Khantumani para os países africanos, o número de presos em Guantánamo cai para 178.

 

A transferência de Abdul Aziz Naji, que estava em Guantánamo desde 2002, veio dois dias depois de a Suprema Corte americana rejeitar sua apelação para não voltar à Argélia por medo de ser torturado.

 

Obama não cumpriu sua data limite imposta para fechar a prisão em janeiro de 2010, principalmente porque o Congresso bloqueou financiamentos para transferir prisioneiros para uma penitenciária nos Estados Unidos.

 

A prisão foi aberta em janeiro de 2002, para deter e interrogar estrangeiros capturados após a invasão das forças americanas no Afeganistão para expulsar a Al-Qaeda e seus protetores do Taleban. Desde então, mais de 780 pessoas já estiveram presas no local.

 

Durante o governo de George W. Bush, muitos dos prisioneiros foram detidos fora do Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.