Ex-ajudante de Bin Laden pega prisão perpétua nos EUA

Um homem apontado como ex-ajudante de Osama bin Laden foi condenado na terça-feira a prisão perpétua nos EUA por ter furado o olho de um guarda com um pente, enquanto esperava julgamento por conspiração.

REUTERS

31 de agosto de 2010 | 20h36

Mamdouh Mahmud Salim, 52 anos, declarou-se culpado em 2002 de tentativa de homicídio e conspiração para matar um funcionário federal. Em 2004, ele foi condenado a 32 anos de prisão, mas o caso voltou à juíza Deborah Batts por causa de recursos alegando que ela não havia levado em conta fatores relacionados ao terrorismo.

Promotores dizem que Salim, engenheiro formado no Iraque, foi um dos fundadores da Al Qaeda, emitiu decretos religiosos para Bin Laden e operava campos de treinamento e refúgios no Paquistão e Afeganistão.

A agressão ao guarda Louis Pepe ocorreu em 2000, em Nova York, onde Salim e outros quatro réus seriam julgados por planejar vários ataques contra norte-americanos, inclusive os atentados contra as embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia, em 1998.

(Reportagem de Basil Katz)

Tudo o que sabemos sobre:
EUALADENEMPREGADOPRISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.