Ex-assessor de Bush é condenado por roubo a órgão cubano

Felipe Sixto será preso e pagará multa de US$ 10 mil por desvio de fundos do Centro para a Liberdade de Cuba

Efe,

18 de março de 2009 | 16h52

A Justiça dos Estados Unidos condenou nesta quarta-feira, 18, um antigo assessor do ex-presidente americano George W. Bush a 30 meses de prisão pelo roubo de fundos governamentais destinados a uma organização que promove a democracia em Cuba. O juiz distrital Reggie Walton também determinou que o ex-assessor Felipe Sixto deverá pagar uma multa de US$ 10 mil e cumprir três anos de liberdade condicional ao fim de sua pena na prisão.

 

Sixto, que se declarou culpado em 19 de dezembro de 2008, desculpou-se nesta quarta pelo roubo dos fundos destinados ao Centro para a Liberdade de Cuba. O acusado, de origem cubana, foi chefe de recursos humanos do Centro, onde trabalhou por mais de três anos antes de fazer parte da equipe da Administração Bush, em julho de 2007.

 

Como chefe de pessoal, Sixto superfaturou uma compra de equipamentos para o centro feita com dinheiro público em cerca de US$ 580 mil. Seu advogado declarou que o acusado já devolveu quase 90% desse valor.

 

Sixto chegou ao Escritório de Assuntos Governamentais da Casa Branca em julho de 2007 e tinha como missão servir como elo entre o governo e funcionários hispânicos, grupos indígenas e legisladores estaduais em assuntos como os relacionados com Cuba, Porto Rico, além de saúde, questões trabalhistas e meio ambiente.

 

O Centro para a Liberdade de Cuba se define como uma ONG destinada a promover os direitos humanos e a transição para a democracia na ilha caribenha.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACubaGeorge W. Bush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.