Ex-Blackwater pagará multa por exportar armas para o Afeganistão

Empresa de segurança violou leis comerciais em centenas de ocasiões, diz o 'New York Times'

EFE,

21 de agosto de 2010 | 18h15

A empresa de segurança privada Xe Services, a antiga Blackwater, pagará uma multa de US$ 42 milhões ao Governo americano por ter violado leis comerciais em centenas de ocasiões e exportado armas para o Afeganistão.

 

Em virtude do acordo, que ainda não foi publicado, mas foi antecipado pelo jornal The New York Times em sua edição digital, a Xe evitará assim um processo judicial.

 

A empresa fez exportações ilegais de armas para o Afeganistão e propostas não autorizadas para treinar tropas no sul do Sudão, além de fornecer formação de franco-atirador para agentes da Polícia taiuanesa, disseram fontes da empresa e do Governo ao diário.

Uma fonte da companhia confirmou o acordo, mas o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley, não ratificou a notícia.

 

O acordo foi fechado após longas conversas e negociações entre a Xe e o Departamento de Estado, que tratou as violações como infrações administrativas, permitindo assim à empresa de segurança privada evitar acusações penais.

O pacto não resolve, no entanto, outros problemas legais da Blackwater, de seus ex-diretores e outros funcionários, que incluem acusações de tráfico de armas, obstrução à Justiça e tentativa de suborno de funcionários do Governo iraquiano.

 

O New York Times afirma que o acordo permitirá à Xe continuar disputando contratos governamentais.

A Blackwater perdeu no ano passado seu maior contrato com o Departamento de Estado, que não quis que a empresa fizesse a segurança de seu pessoal na embaixada de Bagdá por causa da polêmica surgida após o massacre de 16 de setembro de 2007.

 

Nessa data, um grupo de segurança da Blackwater disparou contra civis em uma praça de Bagdá, deixando 17 mortos e 27 feridos.

 

Apesar disso, a Xe segue tendo contratos de segurança com o Departamento de Estado e a CIA (agência de inteligência americana) no Afeganistão.

Em junho, o departamento de Estado assinou um contrato de US$ 120 milhões com a Xe para a segurança seus escritórios regionais do Afeganistão. A CIA pagará US$ 100 milhões pela segurança de seu posto em Cabul, segundo o New York Times.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.