Ex-funcionário do Pentágono é condenado por espionagem

Um comunicado do Departamento de Justiça disse que James Wilbur Fondren, de 62 anos, realizou essas atividades quando era subdiretor de um escritório

EFE

23 de janeiro de 2010 | 02h04

Um ex-funcionário do Departamento de Defesa dos Estados Unidos foi condenado hoje a 36 meses de prisão por atividades de espionagem e formular declarações falsas a agentes federais.

 

Um comunicado do Departamento de Justiça disse que James Wilbur Fondren, de 62 anos, realizou essas atividades quando era subdiretor de um escritório.

 

Segundo documentos judiciais apresentados durante o julgamento em setembro, Fondren forneceu documentos confidenciais e outras informações a Tai Shen Kuo, um taiuanês naturalizado americano.

 

Fondren, detido ano passado, sabia que Kuo era próximo de um funcionário do Governo chinês com quem trocou mais de 40 e-mails entre março de 1991 e novembro de 2000.

 

Fontes do Departamento de Justiça acusam Fondren de entregar a Kuo informação confidencial em oito relatórios, a um custo de entre US$ 350 e 800 cada.

 

Kuo foi detido em fevereiro de 2008, e em maio daquele ano foi condenado a 15 anos e meio de prisão, culpado de complô.

 

Segundo o comunicado, Fondren também foi declarado culpado de fazer declarações sobre sua relação com Kuo e de afirmar que os documentos eram apenas relatórios de imprensa, sem conteúdos de estratégia militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.