Ex-líder republicano na Câmara dos EUA é condenado por corrupção

Tom DeLay, de 63 anos, comandou partido na casa no final da década de 1980

Reuters

25 de novembro de 2010 | 08h40

Condenado. Pena de DeLay pode chegar a até 119 anos de prisão.

 

AUSTIN - O republicano Tom Delay, ex-líder da bancada do partido na Câmara dos Representantes dos EUA e conhecido como "The Hammer" (O Martelo), por seu estilo exigente, foi considerado culpado de lavagem de dinheiro e conspiração por um júri no Texas.

DeLay foi acusado de conspirar para repassar US$ 190 mil ilegalmente em doações corporativas à campanha eleitoral de candidatos republicanos à Assembleia Legislativa do Texas, nas eleições de 2002.

"As autoridades públicas eleitas pelo povo para representá-lo devem fazer isso de forma honesta e ética e, se não for o caso, devem ser responsabilizadas", disse Rosemary Lehmbergo, promotora pública do município de Travis.

DeLay, de 63 anos, pode ser condenado a até 99 anos de prisão por lavagem de dinheiro e de 2 a 20 anos por conspiração, além de estar sujeito a multas. Ele ficará em liberdade até a declaração de sua sentença no tribunal do Texas, no dia 20 de dezembro.

DeLay foi eleito para a Câmara dos Representantes em 1984 e chegou a assumir o segundo posto mais importante da Casa.

Ele renunciou em 2006, depois de supostas ligações com Jack Abramoff, ex-lobista republicano que foi acusado, em uma investigação federal, de tráfico de influência no Capitólio. Dois dos assistentes de DeLay se declararam culpados de corrupção. DeLay negou qualquer ilegalidade.

DeLay deixou o cargo como líder do partido na Câmara um ano antes depois de ser indiciado no Texas por acusações ligadas ao financiamento de campanha.

Tudo o que sabemos sobre:
EUADeLaycorrpuçãorepublicanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.