Ex-militar argentino acusado de matança é detido em Miami

O ex-militar argentino Roberto Bravo, foragido da Justiça e acusado de ser um dos responsáveis do chamado "Massacre de Trelew", no qual foram assassinadas 16 pessoas em 1972, foi detido nesta quinta-feira em Miami, nos Estados Unidos, pela polícia local.

REUTERS

25 de fevereiro de 2010 | 20h09

A Secretaria de Direitos Humanos da Argentina informou que Bravo, que mora em Miami desde 1977, foi detido pela polícia local, que seguiu um pedido de extradição da chancelaria do país sul-americano.

O ex-militar é acusado de ser um dos autores diretos do assassinato de 16 prisioneiros em uma base militar da cidade de Trelew, na Patagônia, no sul da Argentina, em 22 de agosto de 1972.

No "Massacre de Trelew", as pessoas fusiladas pertenciam a grupos guerrilheiros de esquerda e que haviam sido capturadas após uma tentativa de fuga.

(Reportagem de Juliana Castilla)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAARGENTINAMILITAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.