Execução de assassino condenado à morte é suspensa nos EUA

A decisão foi tomada pois cada Estado pode intervir para impedir que uma pessoa declarada esquizofrênica assuma a própria defesa

EFE

21 de junho de 2008 | 01h06

Um juiz federal da Carolina do Sul (Estados Unidos) suspendeu nesta sexta-feira a execução de um homem que tinha pedido para morrer na cadeira elétrica, informaram fontes judiciais. A execução de James Earl Reed estava prevista para esta noite, mas foi suspensa após o tribunal considerar que o caso merecia uma revisão. A decisão do juiz federal foi tomada depois de a Suprema Corte dos EUA ditar que cada estado pode intervir para impedir que uma pessoa declarada esquizofrênica assuma sua própria defesa. Em vista dessa decisão, o juiz Henry Floyd ordenou que o caso de Reed fosse submetido a uma revisão, disseram as fontes. Reed, que assumiu sua própria defesa após demitir seus advogados, tinha sido condenado à morte pelo assassinato de duas pessoas em 1994. Caso tivesse sido concretizada, esta teria sido a primeira execução mediante eletrocução na Carolina do Sul desde 2004. A maioria dos estados aplica a pena de morte mediante injeção letal, mas na Carolina do Sul o condenado pode escolher o método do castigo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.