FBI fará investigação independente sobre tiroteio em Fort Hood

Militar americano islâmico abriu fogo contra colegas e deixou 13 pessoas mortas na base do Texas

Associated Press,

08 de dezembro de 2009 | 15h57

O ex-diretor do FBI, o serviço secreto dos EUA, William Webster conduzirá uma investigação independente sobre o gabinete que obteve informações antes de um militar americano islâmico abrir fogo contra colegas na base de Fort Hood, no Texas.

 

Veja também:

linkAtirador de base dos EUA está vivo; mortos chegam a 13

link Muçulmano, major que abriu fogo temia envio à guerra

video Vídeo: Câmera de segurança mostra atirador no dia do ataque (YouTube)

 

O atual diretor da entidade, Robert Mueller, pediu a Webster que cheque como foram conseguidas as informações sobre o major Nidal Hasan meses antes o ataque, que deixou 13 pessoas mortas.

 

Mueller já autorizou uma investigação interna sobre o caso, que levou ao conhecimento de um comunicado secreto à Casa Branca no fim de novembro. A nova missão de Webster, que também já foi diretor da CIA, irá um pouco mais longe e demandará uma investigação mais longa e profunda.

 

Em um comunicado, Mueller afirmou que Webster é "unicamente qualificado" para o trabalho porque "liderou investigações independentes de vários sistemas do FBI e outros órgãos de segurança". "Nesse caso, Webster terá completo acesso e quaisquer recursos necessários para realizar a tarefa", concluiu o atual diretor do FBI.

 

O Exército dos EUA também está investigando o fornecimento de informações sobre o atirador antes do incidente e também informou a Casa Branca sobre a questão. No caso do FBI, membros de dois órgãos antiterrorismo viram emails de conversas entre o Hasan ex-psiquiatra do Exército, e um líder religioso islâmico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.