FBI não vê ligação entre cartas suspeitas e ataque em Boston

O FBI disse nesta quarta-feira que a investigação sobre cartas contendo uma substância suspeita enviadas a um parlamentar e ao presidente dos EUA, Barack Obama, não encontrou ligação com o ataque em Boston.

Reuters

17 de abril de 2013 | 13h49

"A investigação sobre essas cartas permanece em andamento, e mais cartas ainda pode ser recebidas. Não há nenhuma indicação de uma ligação com o ataque em Boston", disse o FBI em comunicado.

O envelope endereçado a Obama foi imediatamente colocado em quarentena pelo Serviço Secreto dos EUA, disse o FBI.

Testes preliminares realizados na unidade de filtragem de correspondências do governo tiveram resultado positivo para ricina, disse o FBI.

"Somente uma análise completa realizada em um laboratório acreditado pode determinar a presença de agentes biológicos, como a ricina. Esses testes estão sendo conduzidos e geralmente levam de 24 a 48 horas", disse o FBI.

Na terça-feira, autoridades norte-americanas interceptaram uma carta enviada ao senador Roger Wicker, do Mississippi, que continha um veneno possivelmente mortal, de acordo com testes preliminares.

Duas explosões de bombas ocorridas na linha de chegada da Maratona de Boston mataram três pessoas, na segunda-feira.

(Reportagem de Tabassum Zakaria)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFBICARTASBOSTONSEMRELACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.